Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

A Lorinha e o Jumento cumilão

Por: Pauzudinho - Categoria: Exibicionismo

A LOIRINHA E O BURRO CUMILÃO

A “Nara” é uma das mulheres mais gostosas desta pequena cidade localizada no Sul do Tocantins, mais precisamente em Gurupi.
A nossa heroína é loira, baixinha, tem uma bunda e um corpo escultural, sua fama de safada já é bem conhecida na cidade. Se colocassem todos os pênis que já penetraram nela, um em volta do outro dava para dar a ir do Brasil a China e voltar tranqüilamente, a safada realmente gosta de safadeza.
Essa história, totalmente verídica, foi ela própria que me contou. Em meados de abril de 2002, a Nara foi para a fazenda do seu marido, é, nossa heroína é casada, o marido dela é conhecido na cidade como “malandro manso”. O impávido guampa, apesar de ter muito dinheiro e status, não consegue dar conta do fogo da sua esposa gostosa, ele não queria viajar, pois tinha vários compromissos agendados. Sendo assim a Nara foi para a fazenda, que fica há uns 30 km de Gurupi, ela só não contou ao seu marido que estava indo com mais duas amigas e um “amigo” dela, diga-se Ricardão.
Logo que chegaram a Nara dispensou o caseiro e logo após ele ter ido embora os outros saíram do seu carrão e começaram a putaria. Em plena semana santa eles pintaram e bordaram. Primeiro a Nara falou que queria provar o OVO DA PÁSCOA, ocasião onde o Ricardão tirou o pau pra fora e ficou como veio ao mundo. A Nara e suas amigas começaram a chupar loucamente o cacete do felizardo, que de vez em quando resmungava algo dizendo que suas “coelhas” eram muito gostosas. A nossa loirinha bucetuda era a mais desaforada no chupamento do cacete, queria engolir tudo só para ela e as vadias continuavam chupando, se beijando e se acariciando, parecia que ia ser uma grande suruba a principio.
O Ricardão falou que queria comê-las e as vadias deitaram-se uma ao lado da outra com as pernas abertas e imploravam por rola, o Ricardão começou a meter então na primeira, que era uma morena não muito atraente, chamada Luana, mas que sabia rebolar muito e também tinha uma fama de vadia muito grande na cidade, meteu uns dois minutos e passou para a outra, uma loira com um belo corpo, chamada Flavinha, nessa meteu mais um pouco, depois de uns 5 minutos ele saiu e foi meter na Nara, sentindo a bela buceta fenomenal no seu pau ele não agüentou e gozou quase precocemente, deixando a loira insaciável muito decepcionada.
Ela ficou com tanta raiva que vestiu logo a roupa e falou que ia beber um pouco de cerveja que estava no carro. Quando ela estava se dirigindo à sua F250 branca ela viu de longe o Burro da fazenda, chamado de “colosso”, ela sempre achara interessante este apelido, mas era moça da cidade e não sabia o porque dele, porém, agora ela estava entendendo, o burro estava com o pau duro e pelo que ela via admirada devia medir uns 45 cm aquela tora dura e grossa. Quando a Nara viu aquela cena ficou com a buceta toda molhadinha e foi logo em direção do burro para saciar sua sede.
Dá pra imaginar a cara do burro vendo aquele estranho ser acariciando o seu cacete de 45cm, deve ter sido no mínimo curioso esta cena. Ela ficou afagando o cacete do burro, ficou com medo de levar um coice ou algo assim, mas depois, quando viu que o burro estava cada vez mais excitado não fez nenhuma cerimônia em pegar no cajado e enfiá-lo na boca. Ela disse que o pau do burro estava com gosto de extrato de tomate...e de tão grosso não cabia direito em sua boca. Ficou punhetando e chupando o burro que estava cada vez mais tarado.
Ela ficou mais de meia hora punhetando e chupando o burro e como ele não gozava a Nara se cansou, procurou até um jeito que desse pra ela ser enrabada pelo burro, mas não deu certo. A vadia então foi saindo devagar e deixando o burro na vontade. Contrariado, o burro então saiu em perseguição, dando relinchos alucinados e a Nara nua, saiu correndo em desabalada carreira tendo o animal cada vez mais perto de sua bunda. Quando cansou o burro deu uma cabeçada na sua bunda a jogando uns 2 metros de distancia, a Nara então desmaiou e não viu mais nada. Só que quando acordou ela estava com a bunda toda ensangüentada e gozada, cheia de porra em suas costas e na bunda. Ela acha que foi o burro que lhe enrabou enquanto ela estava desmaiada, mais pode ter sido muito bem um peão das redondezas que viu a safada desmaiada e se aproveitou para comer aquele lindo rabinho ou quem sabe um fazendeiro vizinho amigo dela, como eu, que não perderia uma chance dessas para enrabar aquela gostosa loirinha insaciável.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto
foto avatar usuario Pauzudinho
Por: Pauzudinho
Codigo do conto: 572
Votos: 0
Categoria: Exibicionismo
Publicado em: 12/08/2014

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login



Mais contos desse usuario

A Lorinha e Mostro do Lago Ness

A Loirinha Insaciável e seu Marido Corno

A Prostituta de B L A I R

ARQUIVO X - Enfiando o monstruoso na SCULLY

Uma Fisioterapeuta muito Especial

A Pocahontas que chupa gostoso

FAROESTE CABOCLO PORNÔ

E o LOBISOMEM NÃO DEU Conta da Loirinha

PEIDOFOLIA - Uma foda MAL CHEIROSA


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2021 - club-columb.ru - Todos os direitos reservados


Cont erot Menina da Fazendacontos incesto 2016mamae falou que eu tinha que dar meu cuzinho contoconto erotico sentei no pau grande do meu primocontos ofereceu pauConto erotico-flagrei minha esposa com meu tio, mete gostosocontos zoofilia homensconto gay erotico como virei travestiContos eróticos comendo dona negracimi cu da mamae contosconto erotico mae pau grandecasa dos contos.comerotico TaubatéMarido voto para casa e deparo com o Inrreval porno cornocontos pornos incertoscontos punheta irmaConto erotico conheci uma boazonha e descobri que tinha um penisconas incesto contoscontos eroticos os tios do meu namoradomeu sobrinho viadinhoTraindo meu marido conto eroticoContos falei que ia trabalhar e voltei e vi minha mulher fudendocasadoscontodconto erotico bisexualcasa doscontosdando pro meu tioVer contos de gorda de 200 kilo de bucetacontos eróticos dpcontos eroticos o retorno do excontos incestos mae e filhocontos eroticos gay o viadinho tinha peitinhocasa dos.contos.eroticoscontos zoofiliacasa dos contis eroticoscontos eroticos gays com fotoscontos eróticos casado chupando pedreirocontos de foda fiz meu pai comer minha esposacontos eroticos de cornos tarados por guampaconto de zoofiliacrorssdresser.lingeries.fazenda.contos.feriascome buceta de júlio césar o imperador de roma romana a primeira veisimelhores contos gayultimos contos de sexoUltimos contoseroticoscomi o priminho viado esconde esconde conto eroticocontos eroticos eu papai e minha amiguinhacontos gay eroticos o macho virou minha putacontos de cornos portuguesesconto namorada bunda branca clube-dos-cornos-obedientesconto traição secretaria casada contos eróticos - novinha com plug no cu e a rola grande e grossa na bucetaconto erótico picante no onibus leito a noiteconto erotico quente idosasultimos contos de sexocontos er casaiscasados contostransando com a esposa e desconhecido assistindo contoCont erot escravinhas/conto/18115/O-VELHO-QUE-TRABALHA-PRO-MEU-PAI-TRANSA-COM-MINHA-MAE-.htmlcuckold cornoconto erotico sera que sou corno3 meninas na suruba contocontos eroticos traição anal dá esposa com velho negro jumentocasa dos contos eroticos lesbicosesposa foi amarrada e vários fudendo conto/conto/12783/Dominacao-Tantrica-O-Inicio.htmlcontos eroticos fiz ela se arrepender de me trairLer conto deincesto comendo a cunhada enfermeraconto erotico meu amigo jonascontos porno machoContos eróticos excitante de angolanos